terça-feira, 31 de janeiro de 2012

CORAÇÃO SELVAGEM, O HERÓI DA HISTÓRIA!

Olá, povo do blog!
Vim aqui contar uma historinha pra vcs.
Era uma vez, há muito tempo, uma escritora que criou a história de uma indio navajo que se apaixona por uma dondoca maluca (e nem tinha Mulheres Ricas naquela época!) e vive com ela uma experiência e tanto em meio ao cenário maravilhoso do Grand Canyon. Pois bem, ao criar a história, a autora tinha um tipo masculino bem definido na cabeça, mas não encontrou nehuma foto que descrevesse aquilo que havia imaginado.
Isso, claro, até hoje!
Graças às maravilhas internéticas que, apesar das SOPAS  e PIPAS deste mundo, continuam faendo seus milagres, ele surgiu! O Joshua Silverwolf da minha imaginção existe! E é igualzinho, sem tirar nem por, àquilo que eu havia criado! Apenas meu personagem tinha olhos verdes, mas quem liga pra este detalhe?
Como não sou egoísta e acredito firmemente que tudo que é bom deve ser compartilhado, coloco aqui a foto do meu herói para vocês verem:

O nome dele é Michael Spears. Não é Navajo, é Sioux, mas isso pouco importa pra minha cabeça, ele é exatamente o que eu imaginei, em todos os detalhes. Pra quem achou o bonitão da capa uma maravilha, confira abaixo quem é o "meu" Joshua Silverwolf e depois deixem sua opinião. qual vocês preferem?

Beijos!

 Mais uma:

Abaixo uma série de fotos do bonitão que achei no YT:

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

PARA O NATAL.

Oi, pessoal!
Estou passando por aqui para desejar a todos vocês - aos que eu conheço e àqueles com quem nunca falei, aos que me mandam mail perguntando do terceiro livro do Red Kings e a quem eu nunca respondi e (imagino eu)devem me xingar muito, aos parceiros e aos não parceiros, aos que sentem simpatia e aos que me detestam - o melhor, mais cintilante, feliz e memoravel Natal. Nestas épocas em que a tradição natalina virou puro consumo e comilança, desejo sinceramente que todos vocês consigam vivenciar a frase "paz na terra aos homens de boa vontade" e se tornem realmente, pessoas de boa vontade.

Beijo enorme a todos, incluindo aí familiares e amigos e muito obrigada pelo carinho que sempre me dedicam.

 * não conheço o garoto do video, mas adorei!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Jogue sua Vaca Fora!

crédito da imagem: kboing.
Oi, pessoal do blog!
Há algum tempo ando querendo voltar a postar e, ao receber este texto de meu cara-metade, achei que seria uma maneira bacana para retomar o blog. Além de bonitinho, retrata bem o momento que estou vivendo, quando a vida veio e jogou minha vaca pelo precipício. Espero que vocês sejam mais espertos que eu e joguem vocês mesmos a vaca que "astravanca" o progresso de vocês.

Obrigada por continuarem firmes e fortes seguindo o blog, mesmo quando eu não estava aqui.
Beijo no coração de todo mundo!


A VACA E O SÁBIO CHINÊS

Era uma vez, numa terra distante, um sábio chinês e seu discípulo. Certo dia, em suas andanças, avistaram ao longe um casebre.
Ao se aproximarem, notaram que, a despeito da extrema pobreza do lugar, a casinha era habitada.
Naquela área desolada, sem plantações e sem árvores, viviam um homem, uma mulher, seus três filhos pequenos e uma vaquinha magra e cansada.
Com fome e sede, o sábio e o discípulo pediram abrigo por algumas horas. Foram bem recebidos.
A certa altura, enquanto se alimentava, o sábio perguntou:
— Este é um lugar muito pobre, longe de tudo. Como vocês sobrevivem?
— O senhor vê aquela vaca? Dela tiramos todo o nosso sustento — disse o chefe da família. Ela nos dá leite, que bebemos e também o transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos o leite e o queijo por outros alimentos. É assim que vivemos.
O sábio agradeceu a hospitalidade e partiu. Nem bem fez a primeira curva da estrada, disse ao discípulo:
— Volte lá, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali em frente e atire-a lá pra baixo.

O discípulo não acreditou.
—Não posso fazer isso, mestre! Como pode ser tão ingrato? A vaquinha é tudo o que eles têm. Se eu jogá-la no precipício, eles não terão como sobreviver. Sem a vaca, eles morrem!

O sábio, como convém aos sábios chineses, apenas respirou fundo e repetiu a ordem:
— Vá lá e empurre a vaca no precipício.

Indignado, porém, resignado, o discípulo voltou ao casebre e, sorrateiramente, conduziu o animal até a beira do abismo e o empurrou. A vaca, previsivelmente, estatelou-se lá embaixo.
Alguns anos se passaram e durante esse tempo o remorso nunca abandonou o discípulo.
Num certo dia de primavera, moído pela culpa, abandonou o sábio e decidiu voltar àquele lugar. Queria ver o que tinha acontecido com a família, ajudá-la, pedir desculpas, reparar seu erro de alguma maneira.
Ao fazer a curva da estrada, não acreditou no que seus olhos viram. No lugar do casebre desmazelado havia um sítio maravilhoso, com muitas árvores, piscina, carro importado na garagem, antena parabólica.
Perto da churrasqueira, estavam três adolescentes robustos, comemorando com os pais a conquista do primeiro milhão de dólares. O coração do discípulo gelou.
O que teria acontecido com a família?
Decerto, vencidos pela fome, foram obrigados a vender o terreno e ir embora. Nesse momento, pensou o aprendiz, devem estar mendigando em alguma cidade.

Aproximou-se, então, do caseiro e perguntou se ele sabia o paradeiro da família que havia morado lá havia alguns anos.
— Claro que sei. Você está olhando para ela — disse o caseiro, apontando as pessoas ao redor da churrasqueira.
Incrédulo, o discípulo afastou o portão, deu alguns passos e, chegando perto da piscina, reconheceu o mesmo homem de antes, só que mais forte e altivo, a mulher mais feliz, as crianças, que haviam se tornado adolescentes saudáveis. Espantado, dirigiu-se ao homem e disse:
—Mas o que aconteceu? Eu estive aqui com meu mestre uns anos atrás e este era um lugar miserável, não havia nada. O que o senhor fez para melhorar tanto de vida em tão pouco tempo?
O homem olhou para o discípulo, sorriu e respondeu:
—Nós tínhamos uma vaquinha, de onde tirávamos nosso sustento. Era tudo o que possuíamos.

Mas, um dia, ela caiu no precipício e morreu. Para sobreviver, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos.
E foi assim, buscando novas soluções, que hoje estamos muito melhor do que antes.

Então, né? Pois é....
 

terça-feira, 9 de agosto de 2011

O DIA SEGUINTE - LANÇAMENTO NACIONAL

Olá pessoas que se aventuram por aqui!
Após um longo período de silêncio, saio da concha para convidar vocês a conhecerem e participarem do lançamento de mais um livro do amigo Luis Eduardo Matta, escritor nota 1000, brasileiríssimo e super talentoso.
Prestigiem!

Aqui o convite:

E aqui, todas as informações sobre o livro:

O DIA SEGUINTE
               Luis Eduardo Matta

FARID   WASSOUF,   um   brasileiro   de   origem 
síria   e   Yaakov   Zilberman,   um   judeu   norte-
americano,   são   grandes   amigos   há   muitos   anos, 
além de sócios numa empresa de comércio entre 
Brasil e Estados Unidos. A suspeita da existência 
de um esquema de fraude na firma faz com que 
Farid  viaje   a  Nova   York,  onde  deverá  se  reunir 
com o detetive contratado para investigar o caso. 
No   dia   do   encontro,   porém,   o   detetive   é 
assassinado e Farid desaparece, sem deixar rastro.
   
Semanas mais tarde, sua mulher, acompanhada do 
filho   Antônio,   de   14   anos,   chega   à   cidade   para 
tratar   do   assunto   com   Yaakov.   Os   dois   estão 
reunidos no World Trade Center, onde fica a sede 
da companhia, quando o complexo é atacado na 
manhã de 11 de setembro de 2001 e morrem no 
colapso das torres.

Antônio é acolhido na casa da viúva de Yaakov, 
cujo filho, Michael, tem a sua idade. Com a mãe 
morta, Antônio precisa localizar o pai desaparecido 
e Michael se oferece para ajudá-lo. No dia 12 de setembro, numa Nova York apavorada e em 
estado de choque, os dois saem em busca de Farid e acabam se envolvendo numa sequência 
imprevisível de perigos e fortes emoções, que trará as respostas para todos os mistérios.

Em O DIA SEGUINTE, Luis Eduardo Matta recria o horror dos ataques de 11 de setembro 
de   2001   para   contar   uma   história   tensa   e,   ao   mesmo   tempo,   comovente   de   suspense   e 
aventura, que celebra a amizade entre árabes e judeus.


sábado, 23 de julho de 2011

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Os Lobos.

O olhar de um lobo possui a grandeza e amplitude do universo, a magia do encanto ancestral, a comunhão com o mistério e segredos da vida. No uivo de um lobo, o universo canta. Em seu caminhar, o universo dança e por seus olhos, ele se comtempla.

Aumente a tela, aumente o som, esqueça tudo o que existe por apenas 5 minutos e contemple a beleza e a majestade da vida, deixando que tudo se vá e apenas você fique..

E depois disso, caia na farra, afinal é sexta-feira!!!!

Bom final de semana, galera!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Só no Brasil! Mas que Vexame!

Primeiro veio a coisa de que escola pública não reprova aluno e todo mundo está vendo no que deu.
Depois, o MEC chancelou o Português aleijado, dizendo que não se pode mais corrigir quem fala e escreve errado, inventando uma nova forma de preconceito: o linguístico.
Agora, como se isso fosse pouco, vão sucatear a qualidade do ensino universitário, promovendo assim a graduação de cabeças-de-bagre oficiais.
Fico impressionada com a capacidade dos governantes brasileiros darem uma banana para a formação profissional, qualidade de ensino e desenvolvimento do conhecimento, pouco se lixando com a opinião da população que lhe paga os salários, estrangulada pela maior taxa de impostos do planeta. São descarados, safados e extremamente desvinculados daqueles que, pelo bem ou pelo mal, os elegeram.

Como nem todo mundo conhece como a banda toca no quesito "educação e ciência" em termos de país, ressalto alguns pontinhos abaixo, antes de postar a razão deste meu desabafo:

1 - Uma das coisas que faz um país próspero e independente é a produção de tecnologia própria, uma vez que se pára de pagar fortunas absurdas pela tecnologia alheia a passa-se a receber fortunas por aquela que se desenvolveu. Para que se consiga sair das asas da tecnologia externa, é necessário investir-se em educação e pesquisa, formar profissionais gabaritados, equipar universidades e dar incentivos à produção de Ciência.

2 - Há um lobby enorme das novas universidades (as Uni-tralalá que grassam por aqui) para transformar a formação profissional em negócio rentável e de fácil consumo, onde o aluno é cliente e o professor, empregado. Um verdadeiro fast-food educacional. Para estes donos de cassinos universitários, quanto menor o salário de um professor, mais lucro em caixa terão.

3 - Para que se consiga empréstimos e financiamentos internacionais, o país precisa que alguns índices de desenvolvimento alcancem certos patamares, ou a grana não vem. Entre estes índices está o da qualificação profissional, investimento em educação, etc.

 Isto posto, transcrevo abaixo a notícia que saiu hoje, 10 de julho de 2011, na Folha On-Line.

"Físicos protestam contra projeto de lei que permite professor universitário sem pós.

Uma carta enviada pela SBF (Sociedade Brasileira de Física) ao presidente do Senado, José Sarney, protesta contra a possível votação, nesta terça (12), do projeto de lei n. 220, de 2010. O projeto prevê que professores universitários, contratados em regime temporário, podem assumir a docência apenas com o curso de graduação, sem terem mestrado ou doutorado, em em "área de conhecimento científico e tecnológico".

Assim, qualquer físico ou biólogo, por exemplo, poderia se tornar professor universitário de física ou biologia. Os membros da SBF reclamam da ideia e pedem que o tema seja ao menos discutido com a comunidade científica, por meio de audiência pública, antes da votação do projeto, argumentando que rebaixar as exigências sobre formação de professores será prejudicial para o país.
"Abre-se uma brecha de interpretação que pode levar a retrocesso significativo nos modelos de contratação de professores de ensino superior", alerta Celso de Melo, presidente da SBF, na carta a José Sarney.
"Ficamos assustados com a possibilidade de ver esse PL, tal qual está redigido, ser aprovado, e mais surpresos ainda de ver essa votação acontecer sem que a sociedade civil seja consultada", afirmou Melo em comunicado oficial.
"No momento em que forma mais de 11 mil doutores/ano, o Brasil precisa de mais, e não de menos, ciência; isto é, a superação de nossos gargalos estratégicos, inclusive na formação de pessoal especializado, requer maior densidade de competência que aquela a ser oferecida pela eventual contratação em caráter temporário de profissionais sem a devida qualificação acadêmica", diz o presidente da SBF na carta."

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/941653-fisicos-protestam-contra-projeto-de-lei-que-permite-professor-universitario-sem-pos.shtml

Depois disso, só me resta dizer: mas que vexame é este país! Vamos continuar pendurados na dependência tecnológica externa, olhando com olhos famintos o conhecimento alheio e exportando nossos profissionais gabaritados para países que lhe dêem valor? Somos mesmo a República das Bananas!