segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

A Escritora em Mim.

Acho que quem é escritor, já nasce escritor. A única coisa que esperamos é o momento da revelação.
O meu aconteceu aos 14 anos quando fiz meu primeiro livro e depois dele não parei mais de escrever. No entanto, ainda não estava pronta para abraçar o ofício. Precisei de mais alguns anos para entender que o fogo da imaginação não me deixaria em paz até que decidisse deixá-lo fluir no papel.
A oportunidade veio em 2005 quando fui indicada por um amigo à Editora Mythos e eu me vi frente a frente com a  possibilidade de deixar as idéias ganharem vida.
De lá para cá escrevi 32 textos, publiquei 26 em formato livro e possuo quatro em E-Book.

Muitas vezes me pergunto de onde surgem tantos personagens, onde eles estavam antes de ganharem forma através de mim. Talvez em um outro mundo. Talvez neste mundo dos personagens também haja escritores e talvez eles escrevam nossas histórias e se perguntem o mesmo que eu. E qual dos mundos é real? O nosso, o deles, nenhum dos dois?
Se você leu até aqui e está se perguntando se eu sou louca, a literatura acabou de cumprir sua missão em você: ela lhe fez pensar.


Abraço carinhoso e muito obrigada pela visita!

4 comentários:

Snake Eye's [Hybrida] disse...

Sinceramente, ainda espero que este mundo aqui (o que a gente vive... vive?) seja o de faz de conta, o do pesadelo kkkk
Mas aqui não diz há quantos milênios vc escreve rsrs
32?! Vc deve ser uma maníaca compulsiva rs

Anne disse...

Eu amei o Crepusculo Vermelho!
E com certeza vou conhecer mais do seu trabalho ;)

Parabéns!^^

Hiperespaço disse...

Oi, Laura. Fiquei muito feliz em ler o seu simpático comentário no meu blog.
Foi realmente muito emocionante para mim descobrir que Crepúsculo Vermelho havia sido escrito por uma autora nacional. Há anos dedico-me a pesquisar o ambiente da literatura fantástica no Brasil através do Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica, e sabia que existiam autores incógnitos no mercado de livros populares. Mas é muito difícil acompanhar e identificar esses trabalhos, porque os pseudônimos são muito usados. Você mesma usou diversos. Posso acreditar que Laura Elias será o seu nome artístico definitivo?
Aproveitando a oportunidade: além de Crepúsculo vermelho, quais foram seus livros de ficção fantástica (horror, FC e fantasia) publicados em 2008 e 2009?
Muito sucesso para você em 2010.

Vanessa Moiseieff disse...

Essa mágica é incrível, muito bom ler seu relato e relembrar dessa sensação dos escritores de ficção. Um grande amigo me dizia que pela escrita nós podemos ser qualquer pessoa, negro, branco, rico, louco, fada... Isso é colocar pedaços nossos no papel... Beijos