quinta-feira, 21 de abril de 2011

Ópera de Sabão - Marcos Rey

Hoje vou falar sobre um dos livros que constam em minha lista especial. Livros que marcaram, livros que possuo há anos e dos quais não me desfaço nem que a vaca tussa. São vários, mas entre eles, Ópera de Sãbão está entre os primeiros. Para quem não conhece, nem nunca ouviu falar, aí vai um pouquinho do livro:

Imagine ma famíla de classe média, um Brasil assustado com o suicídio de seu presidente e temeroso em relação a seu futuro político e um escritor fabuloso com uma veia cômica invejável. Junte tudo isso e você terá uma vaga idéia do que lhe espera nas páginas desta obra imperdível que Marcos Rey publicou em 1978.
Marcos, que na verdade se chamava Edmundo, é mais conhecido, hoje, por suas obras de literatura infanto-juvenil, mas foi um autor de livros adultos excepcionalmente bom, com uma pena de precisão cirurgica para expor de maneira cômica e inteligente alguns aspectos da natureza humana, como por exemplo, diferenças entre aquilo que acontece e aquilo que as pessoas dizem que acontece. Quem elas realmente são, e aquilo que dizem que são.
Ópera de Sabão, cujo título é uma tradução literal das famosas "Soap Opera" da época do rádio, é um livro divertido e imperdível, que conta a história de uma família de classe média da década de 1950, cuja trama se desenrola nos confusos dias que antecederam e sucederam o suicídio de Getúlio Vargas.
O autor nos apresenta à família Manfredi, cujo patriarca, Manfredo Manfredi, é um pequeno empresário que "surta" após uma bebedeira e decide que irá asassinar o assassino de Getúlio, que em sua opinião foi Carlos Lacerda. Enquanto isso, sua esposa, Hilda, está em plena campanha contra o aborto em seu programa  de rádio - onde dá conselhos aos ouvintes com o pseudônimo de Madama Zohra - tentando fazer disso uma cruzada social. Ao mesmo tempo, os três filhos do casal, Benito, Adriana e Lenine, em plena efervescência da juventude, vivem suas vidas como bem entendem. Com Manfredi desaparecido e um clima de incerteza no ar, Hilda se vê sozinha para lidar com as encrencas do dia-a-dia, além de não ter idéia de por onde anda Manfredo. E para coroar esta situação, uma bomba explode em sua vida: a filha engravidou do namorado. O que fazer? Eram os anos 50! Se não ser virgem já era um escândalo, estar gravida do namorado era uma hecatombe. E o marido não estava ali para ajudá-la a decidir.
Extremamente caricato e ao mesmo tempo verdadeiro, Ópera de Sabão, além de fazer rir, faz pensar. Marcos Rey estampa comportamentos que são cotidianos enquanto faz do que poderia ser um dramalhão mexicano (daí o nome do livro), uma comédia fina e astuta do começo ao fim.
Imperdível por sua narrativa adorável e imperdível por seu aspecto comportamental, Ópera de Sabão é um livro inesquecível.

Recomendadíssimo!!!!!

2 comentários:

Geyme Mannes disse...

Ai, voce já tinha me falado sobre esse livro, já estava curiosa antes e fiquei ainda mais agora, lamentavelmente, como é autor brasileiro e já tem mais de 30 anos de publicacao, tenho um décimo sexto pressentimento de que nao o encontrarei por aqui... mas vou tentar mesmo assim e colocá-lo na minha lista de leitura, um dia eu chego lá, hahaha
Beijos, Laurita!!

Laura Elias disse...

Oi, Geyme, postei justamente pq falamos sobre e imaginei que, se vc que conhece tanto não conhecia, outras pessoas tb deveriam ignorar o livro. E ele é bom demais pra passar batido. Este livro é um daqueles inesquecíveis, da minha lista de livros "para gaurdar e ler até morrer"..rs.
Bjo, GG!