terça-feira, 14 de junho de 2011

Amizade em Tempos Modernos. - Pra rir um Pouco.

Em pleno estilo "Rir é o Melhor Remédio", divirtam-se com o texto abaixo!



Outro dia estava no mercado quando vi no final do corredor um amigo da época da escola, que não encontrava há séculos.

Feliz com o reencontro me aproximei já falando alto: - Oswaldo, sua bichona! Quanto tempo!!!

E fui com a mão estendida para cumprimentá-lo.

Percebi que o Oswaldo me reconheceu, mas antes mesmo que pudesse chegar perto dele só vi o meu braço sendo algemado.

- Você vai pra delegacia! – Disse o policial que costuma frequentar o mercado.

Eu sem entender nada perguntei: - Mas o que eu fiz?

- HOMOFOBIA! Bichona é pejorativo, o correto seria chamá-lo de grande homosexual.

Nessa hora antes mesmo de eu me defender o Oswaldo interferiu tentando argumentar: - Que isso doutor, o quatro-olhos aí é meu amigo antigo de escola, a gente se chama assim na camaradagem mesmo!!!

- Ah, então você estudou vários anos com ele e sempre se trataram assim?

- Isso doutor, é coisa de criança!

E nessa hora o policial já emendou a outra ponta da algema no Oswaldo: - Então você tá detido também.

Aí foi minha vez de intervir: - Mas meu Deus, o que foi que ele fez?

- BULLYING! Te chamando de quatro-olhos por vários anos durante a escola.

Oswaldo então se desesperou: - Que isso seu policial! A gente é amigo de infância! Tem amigo que eu não perdi o contato até hoje. Vim aqui comprar umas carnes para churrasco com outro camarada que pode confirmar tudo!

E nessa hora eu vi o Jairzinho Pé-de-pato chegando perto da gente com 2 quilos de alcatra na mão.

Eu já vendo o circo armado nem mencionei o Pé-de-pato pra não piorar as coisas, mas ele sem entender nada ao ver o Oswaldo algemado já chegou falando: - Que porra é essa negão, o que tu aprontou aí?

E aí não teve jeito, foram os três parar na delegacia e hoje estamos respondendo processo por HOMOFOBIA, BULLYING e RACISMO.
*Moral da história: Nos dias de hoje é um perigo encontrar velhos amigos!*

*Recebi este texto por mail e me diverti bastante com ele. Procurei na net, mas não encontrei o autor. Caso alguém saiba quem foi a espirituosa criatura que criou o texto, por favor, avise para que possa dar-lhe o devido crédito.

Beijos!

8 comentários:

Caçadora de Livros disse...

kkkkkkkkkk


adorei =D

Marcia disse...

caraca...o pior é que é isso mesmo... não temos mais a liberdade de nos tratarmos livremente com os bons e velhos amigos...saudades de alguns tempos (como esse) de outrora...

Raffafust disse...

Eu amei esse texto e ri horrores dele! Tb concordo com quem o criou...o que antes as pessoas tratavam como uma fase da vida agora virou desculpa para atos hediondos e diversos profissionais ganharem $ com temas que até então nem sabiam que existiam!

Parabéns por postar esse texto

bjos
Raffa Fustagno
http://galerarecord.blogspot.com/
&
http://livrosminhaterapia.blogspot.com/

Geyme Lechner disse...

kkkkkk To rindo alto, Laura! Principalmente com o comeco do texto (achei que era vc, de verdade, saudando um amigo com o pejorativo "bichona"), hahaha Muito legal, parabéns pro autor (dei uma olhadinha na Net, mas com o título do texto, aparecem muitos outros, ficou mesmo difícil encontrar o autor).

Vc lembra do texto que publiquei ontem sobre as previsoes da Copa? Esse eu encontrei, é do José Simao.

Adorei, ri muito com essa amizade moderna, hehehe
Beijo grande!!!!
PS: Acho que vou roubá-lo, viu...

Laura Elias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura Elias disse...

Oi, Marcia! Pois é, hj tudo virou preconceito e a naturalidade se perdeu. Qdo eu estudava, tínhamos um amigo mulato, de quase dois metros, cujo apelido era "loira do banheiro". E a gente adorava o cara e vice-versa. Nunca houve qq intenção de preconceito, mas de tirar um sarro! Assim como tínhamos um amigo branco, cujo pai tinha um armazém, apelidado de caderneta, pq no armazém do pai dele as compras eram anotadas em cadernetas pra pagar no final do mês. Éramos amigos, saíamos juntos, estudávamos juntos e chorávamos juntos quando era o caso. E não havia violência, ninguém levava arma pra escola e nem dava porrada em professor...

Beijo, querida, obrigada pela visita!

Laura Elias disse...

Olá, Raffa, seja bem vinda por aqui!
O texto é divertido mesmo e o que há nas entrelinhas dele é para se pensar bastante. Tudo a favor de se acabar com o preconceito, mas tudo contra a imbecilidade.

Beijo, volte sempre!!

Laura Elias disse...

Oi,GG do meu core! Pode roubar a vontade...rs. Gostaria de descobrir o autor, mas não consegui encontrar. O texto se espalhou, mas a autoria se perdeu. Viva a Internet..rs.

Beijão, querida!